Benefícios do Vinho

Tipos de vinhos: entenda a diferença entre o espumante e o frisante

Com o fim do ano se aproximando, as festas de Natal e Réveillon são momentos especiais para os apaixonados por perlage, que ganham motivos de sobra para admirar as bolinhas na taça. Mas saiba que só o fato de encontrá-las em diversas garrafas não significa que todas são do mesmo tipo de vinho.

É o caso do espumante e do frisante, que são tipos de vinhos parecidos, à primeira impressão, mas que se revelam bem diferentes quando analisados mais de perto. Continue a leitura e conheça as diferenças entre os vinhos espumante e frisante.

Processo de fermentação

O vinho espumante passa pelo processo de fermentação em duas etapas, cada uma com um objetivo. A primeira é para a produção do álcool, e resulta no que chamamos de vinho base. Após essa etapa, açúcares são adicionados e o vinho segue para a segunda fermentação.

Nessa etapa será produzido o gás carbônico, que é o que forma a perlage, aquelas bolinhas que vemos nas taças. Essa segunda fermentação pode tanto ocorrer em tanques de inox, em que o processo é chamado de Charmat, como também nas garrafas, que é o processo tradicional, conhecido como Champenoise. Ambos ocorrem de forma natural por meio da ação de leveduras.

Para a finalização, é adicionado o licor de expedição, que é uma solução formada por vinho base mais açúcar. A quantidade de açúcar na solução determinará se o espumante será demi-sec, brut ou até mesmo extra brut.

O vinho frisante, por sua vez, passa pelo processo de fermentação apenas uma vez, e ao final dessa etapa teremos o vinho com teor alcoólico e gás carbônico.

Quantidade de bolhas

Devido às diferenças no processo de produção, o vinho espumante tem aproximadamente o dobro de gás carbônico que o frisante, ou seja, se comparados visualmente nas taças, o vinho frisante apresentará menos bolhinhas do que o espumante.

Pressão no interior da garrafa

Já que o espumante tem o dobro de gás carbônico do frisante, sua pressão também será maior. Em relação à pressão normal no exterior da garrafa, a pressão dos espumantes chega a ser até 6 vezes maior, enquanto que nos vinhos frisantes, a pressão chega normalmente ao dobro da normal apenas. A diferença de pressão do interior para o exterior da garrafa é o que causa o arremesso da rolha logo após sua remoção.

Teor alcoólico

O vinho frisante apresenta teor alcoólico inferior. Nessa versão, o comum é chegar até 7% de teor alcoólico, enquanto que o espumante pode chegar a até aproximadamente 10%.

Nomenclaturas especiais

Existem vinhos, tanto frisantes como espumantes, que recebem nomes especiais devido à região e à forma como são produzidos.

Champagne

Certamente é o nome mais conhecido. Somente pode ser denominado Champagne o espumante produzido na região de Champagne, na França.

Crémant

Podem levar este nome os espumantes produzidos nas regiões de Rhône, Bordeaux, Borgonha, Alsácia, Jura, Languedoc e Loire, todas na França também.

Prosecco

Antigamente, Prosecco era uma casta de uvas da Itália, utilizadas para a produção de espumantes. Porém, a Itália resolveu ter um nome especial também, e recentemente adotou o nome Prosecco para ser exclusivo dos espumantes produzidos lá.

Lambrusco

Podem levar este nome especial os frisantes produzidos na Itália.

Cava

Chamam-se Cava os espumantes produzidos na Espanha.

Como vimos, até mesmo os mais semelhantes tipos de vinhos apresentam diferenças bem interessantes, e só existe uma forma de encontrar o seu estilo preferido: lendo sobre cada um deles e buscando sentir na taça as diferenças. Mas uma coisa é certa: existirá, entre tantos tipos, aquele que será o seu preferido.

Gostou de saber as diferenças entre os tipos de vinhos espumante e frisante? Então agora que tal conhecer uma receita com espumante? Conheça o sorvete de espumante.