O que é enologia? Saiba como se tornar um enólogo

O que é enologia? Saiba como se tornar um enólogo

Sendo uma bebida muito antiga, apreciada até pelos deuses (como Baco ou Dionísio), o vinho acabou marcando presença de honra na mesa de reis e nobres do mundo todo. Assim, tornou-se necessária a especialização de algumas pessoas para que a estudassem a fundo, a fim de aperfeiçoá-la cada vez mais. Assim surgiu a enologia.

No Brasil, a produção de vinho foi introduzida por Brás Cubas, no século 16. Já nos tempos de D. João VI, por exemplo, os eventos sociais no país eram sempre acompanhados de vinho. Com o tempo, o interesse das pessoas pela bebida continuou aumentando. Mesmo assim, ainda existem poucas faculdades de enologia no mundo.

Quer entender melhor o assunto? Neste artigo, veremos com detalhes o que é enologia, o que essa ciência estuda e o que faz o profissional que atua nessa área! Continue lendo para conferir.

O que é enologia?

Já vimos que se trata de uma ciência que estuda o vinho: Eno significa vinho, em grego, e logia, estudo. Ela surgiu da busca intensiva de processos de melhoria na produção e na conservação da bebida — afinal, não bastava somente “praticar” se arriscando.

Com o tempo, tornou-se fundamental estudar muito o assunto, aplicando e aprofundando os conhecimentos e experiências obtidas para conquistar os melhores resultados. Nesse ponto, o vinho é privilegiado, já que é a única bebida estudada por uma ciência exclusiva.

A enologia observa todos os procedimentos de produção dos vinhos de alta qualidade, acompanhando desde a plantação das uvas (seleção do solo ideal) e a época da colheita (vindima), estudando também o envelhecimento nos tradicionais barris de madeira, até a fase de comercialização em garrafas.

O que faz um enólogo?

O enólogo é o profissional que tem conhecimentos em enologia, tendo se formado em uma faculdade da área. No contexto de trabalho, especialmente o industrial, ele se dedica às atividades de coordenar, executar e supervisionar a produção do vinho, sendo responsável por tudo que está associado ao produto final. Isso envolve processos diversos como:

  • a vinificação;
  • a estabilização;
  • o envelhecimento;
  • o engarrafamento;
  • o controle de qualidade;
  • a análise química;
  • a análise sensorial da bebida;
  • os conhecimentos sobre viticultura;
  • o marketing do vinho;
  • a comercialização.

O enólogo pode, portanto, elaborar novos vinhos a partir de diferentes espécies de uvas, baseando-se em seus estudos e suas pesquisas na área.

Quem foram os primeiros enólogos?

No geral, todas as pessoas que, ao longo dos séculos, buscaram formas de aprimorar a produção de vinho, melhorando a sua qualidade, podem ser consideradas enólogas, mesmo que o termo ainda não existisse em sua época.

O abade Dom Pérignon (século XVII) foi um grande enólogo que aprimorou a produção de vinho para obter mais rentabilidade com o produto. Ele introduziu normas de cultivo e vinificação, sendo considerado o Pai do Champagne.

Se Dom Pérignon é o Pai do Champagne, o também francês Émile Peynaud (nascido em 1912) é o Pai da Enologia Moderna. Ainda outros enólogos foram: Louis Pasteur, que melhorou os processos bioquímicos associados à fermentação, e Jean Antoine Chaptal, que desenvolveu o processo de adicionar açúcar ao mosto do vinho para aumentar o teor alcoólico da bebida (chaptalização).

O que um enólogo aprende?

O enólogo deve conhecer todas as qualidades da bebida: os aromas (vegetal, floral, frutificado), as sensações (suave, seca, áspera, robusta), as cepas (branca, tinta, rosada), a aparência (espumante, frisante, brilhante) e as temperaturas ideais. Para isso, ele adquire conhecimentos sobre tudo o que está associado à produção do vinho, incluindo a engenharia da adega e os métodos de plantio e colheita das uvas.

Para compreender melhor o que é enologia, vale a pena conhecer as principais disciplinas do curso. São elas:

  • entomologia (estudo dos insetos e de suas relações com o meio ambiente, inclusive com outras formas de vida);
  • matemática;
  • fisiologia;
  • estatística;
  • geologia;
  • física;
  • química;
  • microbiologia;
  • botânica;
  • climatologia;
  • economia;
  • marketing;
  • vinificação;
  • vinicultura;
  • elaboração de vinhos;
  • marketing de vinhos;
  • controle de qualidade;
  • análise sensorial.

Quais as principais faculdades de enologia?

A primeira escola destinada ao aprendizado exclusivo da viticultura e de todos os processos envolvidos apareceu em 1876 na Itália, em Conegliano, originando diferentes associações de enólogos e outras sociedades pelo país. Hoje, as mais importantes faculdades de enologia encontram-se na França e na Itália.

No Brasil, somente uma universidade oferece o curso de bacharelado: a Universidade Federal do Pampa, Campus Dom Pedrito (RS). As demais oferecem cursos de tecnólogo e técnico em enologia. São os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia de: Petrolina (PE), Bento Gonçalves (RS), Pelotas (RS) e São Roque (SP).

Na América do Sul, a melhor faculdade está localizada na Argentina, em Mendoza. Existem ainda faculdades nos Estados Unidos e na Austrália.

Como é o mercado de trabalho?

Pelo fato de ser um curso abrangente, a enologia conta com um mercado de trabalho bem amplo. Existem vagas, por exemplo, para trabalhar em restaurantes, em casas especializadas e mesmo em empreendimentos maiores, como vinícolas e importadoras.

Atuando em uma vinícola, o profissional poderá até prestar assessoria on-line aos clientes, passando informações sobre o processo de produção, a harmonização da bebida com determinados pratos e outras coisas. Além disso, integrando o seu curso superior ao ato de escrever, o enólogo pode trabalhar como crítico especializado em publicações e revistas diferentes.

Para quem não entende bem o que é enologia, saiba que o curso qualifica o profissional a trabalhar na produção de conhaques, cervejas, vinagres, sucos e outras bebidas fermentadas e destiladas também. Quem não é bacharel, mas é tecnólogo/técnico, pode assinar documentos de uma vinícola (responsabilidade técnica e produção da bebida).

Como o Brasil tem tipos diversos de solos e climas, é possível plantar espécies diferentes de uvas. Assim, o enólogo ainda pode avaliar essas condições geográficas e indicar qual é a uva mais apropriada para cada região. Além disso, ele pode atuar somente como vendedor ou produtor/vendedor de seus próprios vinhos.

Como funciona a regulamentação?

Na França, a profissão de enólogo foi regulamentada em 1955. Desde essa data, o profissional que atua na área deve, obrigatoriamente, exibir um Diploma Nacional de Enólogo. No Brasil, em comparação, a profissão foi regulamentada há bem pouco tempo: nossa regulamentação data de 2007.

Enfim, agora você já sabe o que é enologia e como o seu mercado de trabalho é promissor! Como vimos, essa é uma ciência importante e bem vasta, digna de uma bebida tão rica quanto o vinho.

Agora, se gostou desta leitura, aproveite para conhecer 5 livros que orientam sobre harmonização de vinhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X