Enoturismo: conheça (x) destinos para conhecer no Brasil e no mundo!

Enoturismo: conheça (x) destinos para conhecer no Brasil e no mundo!

Viajar pelo mundo visitando as regiões que produzem os melhores vinhos do planeta é a ideia central do enoturismo, uma modalidade turística com número crescente de opções, que se multiplicam acompanhando a própria expansão do mapa do vinho ao redor do globo.

Antes voltado para um público limitado, com alto poder aquisitivo, o enoturismo tem ampliado também as possibilidades (e orçamentos) de roteiro, em grande parte como consequência da entrada de agências profissionais e dos esforços das próprias vinícolas em ampliar esse mercado. Hoje, o turista brasileiro pode fazer enoturismo de alto nível sem precisar deixar o país nem gastar uma fortuna.

Vamos, então, apresentar cinco dos principais destinos do enoturismo no Brasil e no mundo.  

1. Vale dos Vinhedos (RS)

Principal destino do enoturismo brasileiro, o Vale dos Vinhedos, a 120 quilômetros de Porto Alegre, também é considerado um dos mais importantes do mundo.

São mais de 30 vinícolas localizadas na região que abrange os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul, oferecendo mais de 500 rótulos, entre os tipos varietais (feitos de um único tipo de uva) e assemblages (resultado de uma variedade de uvas).

Nesse cenário, que já conta com toda uma estrutura turística, entre hotéis (já são mais de mil leitos à disposição, inclusive um spa do vinho), restaurantes e programas de visitantes oferecidos por vinícolas, destacam-se casas como Valduga, Miolo, Peterlongo e Vinícola Campestre.

2. Serra Catarinense

Famosa pelo seu solo pedregoso, com pouca matéria orgânica e excelente drenagem, a Serra Catarinense vem atraindo novas vinícolas e, por consequência, enoturistas para a região entre as cidades de Lages, Bom Retiro e São Joaquim.

Ali também se destacam as altitudes entre 900-1.350 m, as maiores da vinicultura brasileira, e as temperaturas médias mais baixas.

O clima também é um atrativo a mais para os enoturistas que procuram a gastronomia típica e atividades de turismo ecológico. Entre as casas mais conhecidas estão Villa FrancioniVinícola Pericó e Vinícola Urupema.

3. Mendoza (Argentina)

A capital argentina do vinho é cercada pelas montanhas da Cordilheira dos Andes e conta com robusta estrutura para o enoturismo. São mais de 100 vinícolas que abrem o ano inteiro para receber visitantes, restaurantes estrelados e variados perfis de hotéis.

Entre as muitas opções de passeios apresentadas, o destaque é para a Viña Cobos e a Pulenta Estate. Para quem gosta de mergulhar na história, vale uma esticada à Bodega Escorihuela Gascón, a mais antiga vinícola de Mendoza.

Para uma refeição inesquecível, uma ida ao 1884 Restaurante, do famoso chef Francis Mallman, que, entre outros talentos, foi mentor de Paola Carosella, conhecida dos brasileiros pelo programa Master Chef.

4. Porto (Portugal)

Além da qualidade dos vinhos, a Região do Porto e do Douro atrai os brasileiros pelo charme da terrinha, incluindo a espetacular gastronomia lusitana.

Por outro lado, um desafio extra será desviar das hordas de turistas que invadem Portugal, especialmente no verão. Uma boa opção é deslocar-se até Vila Nova de Gaia, onde as multidões são menores, e procurar casas como a Churchill Graham.

O Porto, no entanto, é apenas a porta de entrada para a fantástica Região do Douro, que produz os melhores vinhos portugueses na vizinhança de pitorescas aldeias. Vale a pena dedicar alguns dias para percorrer esse roteiro.

5. Champagne (França)

Difícil escolher apenas uma região para o enoturismo na França, mas, aqui, vamos deixar as honras para a Champagne, a meca dos espumantes. Nas vizinhanças de Reims, a capital desse departamento francês, localizam-se algumas das villes mais graciosas da Europa, especializadas há séculos na produção desse vinho borbulhoso cuja degustação já foi comparada com “beber estrelas”.

Perto o suficiente de Paris (menos de uma hora de TGV, o trem de alta velocidade), a Champagne pode ser facilmente encaixada em um roteiro para a capital francesa. O ideal, porém, é reservar alguns dias para percorrer a região e deliciar-se com alguns dos champanhes mais deliciosos e caros do mundo.

Gostou do texto e está pensando em aderir ao enoturismo? Então, uma última dica: fazer isso na companhia dos amigos é mais divertido!

Compartilhe este texto nas suas redes sociais e convide os seus amigos para embarcar nos prazeres da cultura do vinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X