Vinícola Campestre

Blog Aromas & Sabores

Baco, o Deus do vinho
Você esta em > Blog > Matéria

07 de fevereiro de 2018

Em algum momento durante suas aulas de história no colégio você deve ter ouvido nomes como Zeus, Apolo, Afrodite e outras famosas deidades da Grécia Antiga. E, quando falamos em mitologia romana, esses deuses ganham, respectivamente, os nomes de Júpiter, Febo e Vênus. Mas além dos famosos nomes do Olimpo, há diversos outros menos conhecidos — mas não menos importantes.

Você já ouviu falar, por exemplo, em Dionísio? E em Baco? Não? Pois saiba que ambos são representantes da ebriedade, dos excessos, das festas, do prazer e da folia. Enquanto o primeiro é grego, o segundo é romano, e leva o título de deus do vinho. Quer saber um pouco mais sobre a história da deidade dessa preciosa bebida? Acompanhe o post, pois ele é inteiro dedicado a Baco!

Qual a origem de Baco?

Filho do deus Júpiter com a mortal Sémele, que exigiu que a divindade se apresentasse para ela em toda a sua glória para que pudesse ver a verdadeira fisionomia do pai de seu filho. No entanto, quando isso aconteceu, Sémele não conseguiu suportar a visão e, fulminada, transformou-se em cinzas.

Júpiter, então, retirou o feto — ainda no sexto mês — das cinzas e o colocou entre suas pernas, finalizando a gestação. Assim, Baco é, na realidade, um semideus, pois tem sangue humano e divino em suas veias.

Como ele se tornou o deus do vinho?

Já adulto, Baco apaixonou-se pela vinha, descobrindo uma forma de extrair o suco da uva e transformá-lo em vinho. Porém, a invejosa deusa Juno (Hera no panteão grego) enlouqueceu Baco e ele passou a vaguear pelo mundo em sua insanidade. Foi apenas ao passar pela Frigia — região da atual Turquia — que o deus do vinho recuperou a lucidez. Para isso, ele contou com a ajuda da deusa Cibele, responsável por sua cura.

Designada como “mãe dos deuses”, Cibele, cuja origem era a própria Frigia, iniciou Baco em seus ritos religiosos. Depois de recobrar a sanidade, ele viajou a Ásia disseminando a cultura da vinha.

Conta a lenda que houve uma tentativa de escravizar o semideus. Certa vez, alguns marinheiros desembarcaram em uma ilha chamada Dia. Lá, encontraram um jovem dormindo e, por sua bela fisionomia, imaginaram ser filho de um rei. Assim, resolveram sequestrá-lo para pedir um resgate. No entanto, um marinheiro chamado Acetes desconfiou que aquele jovem fosse alguma divindade e lhe pediu perdão pelo mau tratamento.

Mas os demais membros da tripulação, tomados pela cobiça, planejaram levar Baco para o Egito e vendê-lo como escravo. Ele percebe a trama e, de repente, a nau para no meio do mar. Das águas começa a vir um aroma inebriante de vinho e, dentro da embarcação, vinhas crescem, carregadas de uvas. Todos os homens — exceto Acetes — são transformados em peixes e jogados ao mar.

Como é o culto a Baco?

O culto a Baco ganhou importância para os romanos por volta do ano 200 a.C., sendo chamado de bacchanalia. Inicialmente era um rito totalmente feminino, comandado pelas bacantes (uma espécie de sacerdotisa) e ocorria apenas três vezes ao ano. Mas com o passar dos anos o ritual sofreu alterações, passando a ser noturno, incluindo os homens e ocorrendo com muito mais frequência.

As celebrações ficaram famosas pelos excessos cometidos, principalmente os sexuais. Isso fez com que o culto ao deus do vinho fosse proibido em 186 a.C. Pessoas ligadas ao ritual foram perseguidas e mortas e os templos dedicados a Baco foram destruídos. Segundo alguns historiadores, essa foi a primeira perseguição religiosa da Europa.

Felizmente, não é pelos excessos que a divindade é conhecida hoje. Sua figura é associada à fertilidade, colheita e, claro, ao vinho. Para nossa sorte, sua cultura se espalhou e ainda podemos degustar essa fascinante bebida, não é mesmo?

Gostou do artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais e ajude seus amigos enófilos a aprender um pouco mais sobre a cultura do vinho!

 
 
Aromas & Sabores
Leia também

Vinhos & Afins

6 erros que você não pode ... 22 de maio de 2018

Enófilo de carteirinha, você escolhe os rótulos que ...

ler notícia

Vinhos & Afins

Veja 3 dicas para receber os ... 14 de maio de 2018

A Lei Seca em vigor há alguns anos no Brasil (que proíbe o consumo de ...

ler notícia

Harmonização de Vinhos

Principais sites sobre ... 07 de maio de 2018

A cultura italiana está bastante presente em nosso dia a dia, especialmente na comida. As ...

ler notícia
Assine nossa
Newsletter

Vinícola Campestre 2018 - Aprecie com moderação

desenvolvimento | sixinterfaces